Configuração da rede Google WiFi Mesh



Conectar dispositivos a uma Rede Mesh do Google WiFi fica fácil com o NetSpot. Encontre zonas mortas, crie mapas de calor e maximize o alcance da sua rede usando o seu computador Windows ou Mac, o NetSpot e seus dispositivos Google WiFi.

Faça sua rede Google WiFi chegar por todos os lugares



O Google trouxe ao mundo maneiras melhores e mais rápidas de expandir seu alcance de conhecimento através de ferramentas de pesquisa avançadas, arquivamento de arquivos, e-mail e aquele jogo Breakout que está oculto em seu recurso de pesquisa de imagens.

Uma de suas ofertas de hardware faz com que as pessoas possa aumentar o alcance das redes domésticas sem a necessidade de um monte de equipamentos. As redes mesh do Google WiFi ajudam os usuários a criar suas próprias redes de expansão em seu ambiente doméstico ou em pequenas empresas. Uma rede WiFi possui um longo alcance, porém ele é afetado por todos os tipos de fatores, como:

  • Distância: quanto mais distante, mais fraco será o sinal do outro lado.

  • Interferência: Todo dispositivo eletrônico que gera ondas eletromagnéticas. Quanto mais dispositivos em uma área, maior a interferência. Isso vai enfraquecer a intensidade do sinal.

  • Materiais de construção: cada vez mais prédios estão sendo feitos com estruturas de metal para proteger contra condições climáticas adversas. Além do metal da construção que pode bloquear os sinais, considere também outras fontes de metal, como um microondas ou uma geladeira de aço inoxidável.


O problema se resolve conhecendo o ponto ideal para posicionar os dispositivos. Em vez de apenas espalhá-los aleatoriamente e esperar que tudo dê certo, podemos usar ferramentas como o NetSpot para conhecer a intensidade do sinal da nossa rede em cada local do ambiente e usar essas informações para posicionar melhor os nossos dispositivos.

Como Funcionam as Redes Mesh


A rede mesh do Google WiFi funciona com uma série de pequenos dispositivos que trabalham em conjunto para conectar outros aparelhos à rede. Imagine um ginásio cheio de pessoas e você querendo conversar com a pessoa que está do outro lado do ginásio. Nós temos algumas opções:

  • Tentar gritar muito alto para ela. Fazer isso demanda mais energia e provavelmente nos deixará cansados, além de prejudicar a nossa voz. Além disso, se quisermos que nosso amigo grite de volta, temos que torcer para que não existam outras pessoas tentando conversar no meio do caminho para que nenhuma voz seja bloqueado e para que a pessoa do outro lado possa ouvir.

  • Obter uma conexão direta entre você e o seu amigo, como uma linha telefônica entre ambos e falar dessa maneira. Isso seria ótimo para qualidade e para a velocidade — mas agora temos que ter esse fio entre os dois pontos que deve receber o devido cuidado.

  • Crie um grupo de amigos para passar as mensagens entre ambos. Podemos anotar nossa mensagem e entregá-la a um amigo, que a passará para o próximo amigo e assim por diante até atingir o alvo pretendido. Para o amigo devolver a mensagem, o processo é apenas invertido.

E essa última opção é como funciona uma rede mesh. Temos que configurar nossa “rede de amigos” de antemão, mas agora, mesmo quando existam mais e mais pessoas no ginásio, nossas mensagens vão chegar ao outro ponto.

Quanto mais amigos tivermos, mais poderemos levar nossa mensagem às outras áreas do ginásio. Porém, o mais importante do que o número de amigos é onde eles estão posicionados. Se não pudermos entregar nossa mensagem a alguém porque ele está fora de alcance, então nossas mensagens não irão a lugar algum.

Google WiFi mesh networks

Pré-requisitos do Google WiFi


Agora que sabemos que tipo de rede queremos usar, veja como configurar a rede de mesh do Google WiFi. Para que esse processo funcione, precisamos garantir algumas coisas primeiro:

  • Uma conexão com a Internet: pode ser um roteador local ou um modem a cabo que tenha portas Ethernet para nos conectar.

  • Um cabo Ethernet: Temos que conectar nosso primeiro dispositivo do Google WiFi Mesh ao roteador.

    Nota: Geralmente ele é fornecido juntamente com o pacote do Google WiFi.

  • Ter pelo menos um dispositivo Google WiFi Mesh.

  • Um celular com o aplicativo do Google WiFi instalado - pode ser um Android ou iOS.

  • O NetSpot rodando no Windows 7/8/10 ou no Macintosh. Ele pode ser baixado gratuitamente em https://www.netspotapp.com/ e o recurso de mapa de calor está disponível para usuários registrados.

Se estivermos com tudo isso pronto, é hora de configurar nossa Rede Mesh do Google WiFi.

Configurando o Google WiFi


Com o hardware na mão e a conexão à Internet funcionando, basta adicionar nossos dispositivos Google WiFi Mesh aos lugares corretos.

  1. Primeiro, ligue o cabo na tomada e no aparelho Google WiFi.

  2. Conecte o cabo de rede Ethernet no Google WiFi e a uma porta disponível no roteador ou no modem.

    Nota: Veja se é possível se conectar à Internet já nessa hora. A maneira mais fácil é desconectar um laptop do WiFi e conectá-lo ao roteador através do cabo Ethernet. Se ainda for possível acessar à Internet, então tudo está funcionando bem.

  3. Aguarde até que o Google WiFi Mesh seja ativado. Quando estiver pronto, ele ficará azul.

  4. Abra o aplicativo do Google WiFi. Na parte inferior do aparelho do Google WiFi há um código QR. Digitalize ele com a câmera do celular. Isso fornecerá as configurações e informações de conexão necessárias para o restante do processo.

  5. Aguarde o app do Google WiFi terminar a verificação. O aparelho do Google WiFi precisa estar se acessando à Internet para que tudo isso funcione.

  6. No app Google WiFi, dê ao dispositivo um rótulo como "Escritório" ou "Corredor" para sabermos onde ele está localizado.

  7. Digite um nome e uma senha para a rede WiFi. A partir de agora, será assim que conectaremos nossos dispositivos à rede.

Antes de prosseguir, confira se o NetSpot esteja instalado e em execução. Lembre-se que para utilizar a função do Heat Map, precisamos de uma versão registrada do NetSpot. Para mais informações, confira as opções de licença em https://www.netspotapp.com/netspotpro.html.

Quando o primeiro dispositivo de rede do Google WiFi estiver conectado, abra o app do NetSpot em um laptop para que seja possível decidir onde colocar nosso próximo dispositivo. Aqui está o procedimento para isso:

  1. Conecte-se à nova rede mesh do Google WiFi.

  2. Abra o app NetSpot e selecione "Iniciar Levantamento".

  3. Dê um nome apropriado ao projeto e a zona. Se você tiver uma planta-baixa do local que será analisado, selecione "Carregar arquivo da planta".

  4. Escolha "Scan Ativo". Vá até o local com o laptop e clique onde o laptop está na planta. O NetSpot fará a varredura da frequência do WiFi e medirá a intensidade do sinal, além de outros fatores. Faça isso em cada área onde teremos dispositivos que serão conectados à rede.

  5. Depois, selecione a opção Mapa de Calor (para usuários registrados) e vamos ver como o sinal está em toda a propriedade. Se estiveres usando uma versão gratuita do NetSpot, ainda podemos obter as informações necessárias através dos gráficos e da intensidade de sinal das ferramentas estatísticas do app.

Poderemos ver onde os sinais estão mais fortes e mais fracos. Azul indica um sinal fraco e vermelho um sinal forte. Como podemos ver no mapa (planta-baixa), temos uma intensidade de sinal boa na maior parte do local, mas as coisas do lado esquerdo estão mais fracas. Posicionar o nosso próximo dispositivo de Google Mesh onde o sinal começa a ficar fraco, é uma ótima opção para o próximo dispositivo.

Agora que sabemos onde colocar o próximo aparelho do Google WiFi, veja como adicionar ele à rede para expandir o alcance da mesma:

  1. Ligue o novo dispositivo Google WiFi à tomada elétrica e espere que ele inicialize.

  2. No app do Google WiFi, atribua a ele um rótulo de localização. Siga todas as perguntas adicionais para verificar se ele está conectado corretamente à rede.

  3. Abra o NetSpot e faça uma nova verificação na rede. Se houver outros pontos fracos adicionais, mova o dispositivo Google WiFi para um local diferente e faça uma nova verificação.

  4. Repita estes passos com quaisquer dispositivos adicionais.

Aqui está um exemplo de uma construção muito simples e do mapa de calor com apenas dois dispositivos conectados, escaneados em diferentes áreas:

NetSpot Heat Map

Expandindo com o Google WiFi


Usar o NetSpot durante o processo de configuração do Google WiFi torna mais fácil transformar o sistema de dispositivos Google WiFi em um sistema ainda mais forte para todos os aparelhos conectados à rede. Com ele, podemos localizar todas as zonas fracas e maximizar a disseminação de nossa rede para que todos os aparelhos façam proveito da melhor conexão possível.

O download é gratuito, uma licença para uso doméstico é muito acessível e é uma ferramenta fácil de usar que lhe dá o poder de um aplicativo empresarial com uma interface simples e intuitiva. Experimente e tenha uma ótima conexão.


Você tem mais perguntas? Fazer uma pergunta.
nsWinImageWhite

A versão para Windows está aqui!

O NetSpot é um detector de rede sem fio fácil de usar para realizar a análise de redes Wifi que estão próximas a você.
Baixe o aplicativo gratuito Wifi scanner

A seguir em Tudo sobre Wi-Fi


Outros Artigos

Comece agora com NetSpot
Funciona em qualquer MacBook (macOS 10.10+) ou qualquer laptop (Windows 7/8/10)
com um adaptador de rede sem fio padrão 802.11a/b/g/n/ac wireless network adapter.
★★★★
Classificação de 4.8 com base em 969 avaliações de usuários
Versão 2.11 • Envie seu comentário